TCE PE

TCE-PE Suspende Cautelar sobre Verbas Rescisórias Indevidas na COPERGÁS

**Recife, 07 de junho de 2024** – O Tribunal de Contas do Estado de Pernambuco (TCE-PE), através de decisão monocrática do Conselheiro Eduardo Lyra Porto, decidiu arquivar o pedido de medida cautelar contra a Companhia Pernambucana de Gás (COPERGÁS) por pagamentos indevidos de verbas rescisórias a empregados comissionados. A decisão foi proferida no processo nº 24100438-0, motivado por irregularidades apontadas em auditoria realizada pela Gerência de Controle de Pessoal (GECP).

A GECP, após análise do Procedimento Interno de Fiscalização PI2400519, identificou pagamentos irregulares de verbas rescisórias a empregados comissionados exonerados entre 2019 e fevereiro de 2024. Os valores pagos indevidamente somaram R$ 2.512.685,16, incluindo aviso prévio indenizado, multa de 40% do FGTS, férias sobre aviso prévio indenizado, entre outros. Esses pagamentos desrespeitaram recomendações do Ministério Público do Estado de Pernambuco (MPPE) e decisões do Supremo Tribunal Federal (STF), do Tribunal Superior do Trabalho (TST) e do Tribunal de Contas da União (TCU).

No contexto dos concursos públicos e dos direitos trabalhistas, é crucial entender a diferença entre os tipos de vínculos empregatícios. Os empregados comissionados, que ocupam cargos de livre nomeação e exoneração, não têm direito às mesmas verbas rescisórias que os servidores concursados. O TST e o STF já firmaram entendimento de que cargos comissionados não fazem jus a verbas como aviso prévio e multa de 40% do FGTS, típicas dos empregados celetistas concursados.

Em sua defesa, o Diretor-Presidente da COPERGÁS, Felipe Valença de Sousa, argumentou que a companhia cessou os pagamentos indevidos em abril de 2024, seguindo parecer da Procuradoria Geral do Estado (PGE/PE). Diante disso, o Conselheiro Eduardo Lyra Porto reconheceu a perda de objeto do pedido de medida cautelar, pois os pagamentos irregulares já haviam sido interrompidos. O relatório nçao deixou claro se o dinheiro pago idevidamente será devolvido.

A decisão do TCE-PE inclui a determinação de arquivamento do processo e a abertura de uma Auditoria Especial para aprofundar a análise dos pagamentos realizados e garantir a conformidade em auditorias futuras.

Esta decisão sublinha a importância da observância das normas legais e dos princípios da administração pública, especialmente no contexto dos vínculos empregatícios e direitos trabalhistas de empregados públicos e comissionados. Para os interessados em concursos públicos e direitos trabalhistas, fica evidente a necessidade de compreensão detalhada das diferenças de tratamento entre empregados concursados e comissionados, garantindo que os direitos e deveres de cada tipo de vínculo sejam respeitados.

**Fonte:** Diário Eletrônico do Tribunal de Contas do Estado de Pernambuco, 07 de junho de 2024.

Posts relacionados
TCE PE

Tribunal de Contas determina realização de concurso público em Itapissuma/PE

Na 14ª Sessão Ordinária da Primeira Câmara do Tribunal de Contas do Estado de Pernambuco…
Leia mais
TCE PE

Auditoria Revela Irregularidades na Câmara de Camutanga e Necessidade de Concurso

Em recente auditoria especial de conformidade, conduzida pelo Tribunal de Contas do Estado de…
Leia mais
TCE PE

Concurso Público é Recomendado após Auditoria na Prefeitura de Tracunhaém/PE

A Prefeitura Municipal de Tracunhaém passou por uma Auditoria Especial de Conformidade referente ao…
Leia mais
Newsletter
Seja um Concurseiro

Inscreva-se na nossa newsletter e obtenha o melhor conteúdo sobre concursos de Pernambuco, feito sob medida para você.

Precisa de ajuda?